Projeto DNP por Elas transforma a vida de mulheres

ONG auxilia mulheres em situação de vulnerabilidade desde a terapia até a independência financeira


Por Juliana Meneses


As mulheres apesar de serem a maioria da população brasileira em números, são um grupo de vulnerabilidade, sobretudo com relação a violência doméstica. De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, os canais do Disque 100 e Ligue 180, disponibilizados pelo Governo Federal, registraram 105.821 denúncias de violência contra mulher no ano de 2020, esse número seria equivalente a 12 denúncias por hora, isso sem citar todas as mulheres que sofrem violências das mais variadas em silêncio.


Suel Andressa Machado, idealizadora e coordenadora do projeto social DNP por Elas, trabalhou na Casa da Mulher Brasileira, em Curitiba, e constatou que só após as mulheres passarem por uma gama de sofrimentos que o Estado tentava auxiliar de alguma forma, mas isso não era suficiente, foi assim que surgiu a ideia de estruturar uma ONG que pudesse fornecer assistência para as mulheres em situação de vulnerabilidade, mas não apenas isso, oferecer também alternativas que essas mulheres pudessem reconstruir suas vidas.


“Sou idealizadora do projeto, eu ajudei a abrir a Casa da Mulher Brasileira em Curitiba, trabalhei lá por 4 anos, sou psicóloga em formação e dentro de um curso de escuta especializada na Casa da Mulher a gente viu que o Estado esperada tudo acontecer, a mulher passar por todos aqueles tipos de sofrimento até que ele começasse a agir e foi ai que a gente viu que nosso trabalho era extremamente paliativo e isso que a gente queria transformar, então começar a agir em faixas etárias cada vez mais jovens, e educando para que informando e educando elas identificassem sinais de abuso e para que estivessem cada vez mais informadas sobre seus direitos e que não chegassem aquele ponto”.

A ONG de caráter laico, apartidário e de encorajamento feminino, não defende nada que segregue ou generalize, busca levar uma experiência de empoderamento para essas mulheres que passaram por sofrimento e precisam de ajuda, lutando por equidade de gênero e oferecendo sem custo dedicação para que este grupo possa compreender seu potencial e superar seus traumas.





Como funciona


O projeto funciona de forma totalmente voluntária e atende de forma gratuita. Hoje a ONG possui cerca de 180 mulheres voluntárias atuando, distribuídas em 12 áreas de atendimento; Captação, Distribuição, Apoio e Acolhimento, Psicologia, Jurídico, Educação Financeira e Empreendedorismo, Mídias Sociais, Redação, Assessoria de Imprensa, Cursos Profissionalizantes, Site e Camisetas e Coordenação Geral. O trabalho é realizado 100% online desde a pandemia, e pretende continuar assim, e está presente em 79 municípios do Brasil. Suel explica que esta característica multidisciplinar que é o diferencial do DNP por Elas. O projeto que existe desde 2018, já atendeu mais de 650 mulheres.