Veganismo na 1a Temporada do "PAUTA EM DEBATE"

Primeira Série da temporada, com 4 episódios, vai debater sobre o VEGANISMO


Por Redação Entre Asanas @entreasanas




PAUTA EM DEBATE

1o EPISÓDIO: VEGANISMO


Uma pesquisa divulgada pela revista Forbes em 2018 afirma que 70% da população mundial está reduzindo ou abandonando o consumo de carne. Somente nos Estados Unidos, o número de pessoas que se declaram veganas aumentou 600% em 3 anos. São os jovens que mais surfam nessa onda, conduzida principalmente pelos “millennials”, geração nascida no auge de grandes avanços tecnológicos, prosperidade econômica e facilidade material.


Mas os dados sobre veganos e vegetarianos no Brasil são enganosos, segundo Robson de Souza (Robson de Souza, publicado originalmente na página Veganagente) e causa divergências de opiniões. Para o autor, muitas pessoas ainda acreditam que o vegetarianismo consiste em não comer apenas carnes vermelhas. Outros ainda pensam que ser vegano é simplesmente ser contra a exploração animal.



"Não se pode pedir por não-violência, paz e justiça, e, ao mesmo tempo, promover a violência e a injustiça."


Gandhi ensinou que “devemos ser a mudança que queremos ver no mundo”. Não se pode pedir por não-violência, paz e justiça, e, ao mesmo tempo, promover a violência e a injustiça. Uma das formas mais graves e generalizadas de violência e injustiça é aquela à qual submetemos os animais não-humanos. Nesse sentido, não se pode falar em transformações positivas reais sem falar em veganismo.


No MANIFESTO da Sociedade Vegana, podemos entender melhor (sociedadevegana.org)

O veganismo é uma filosofia, uma concepção ética e um modo de vida, pautados sobre o fundamento dos direitos animais, ou seja, o reconhecimento de que os animais, sendo seres sencientes, devem ser incluídos em nossa comunidade moral e ter seus interesses respeitados.


São interesses dos animais:

  • a continuidade de sua própria vida;

  • a liberdade e autonomia para buscar os meios para sua sobrevivência e seu bem-estar; e,

  • não serem utilizados como recursos ou meios para fins humanos, tendo sua existência propósito em si mesma.


A todos esses interesses correspondem direitos, os quais são violados quando animais são submetidos à exploração e à condição de propriedade. O respeito aos direitos animais somente ocorrerá com o fim de sua apropriação e exploração. Por isso, o veganismo propõe a abolição do consumo de todos os produtos e atividades que implicam exploração animal:


  • alimentação: consumo de carne de quaisquer animais, vertebrados ou invertebrados, ovos, leite, gelatina, mel, cochonilha, etc.;

  • vestuário: uso de couro e outras peles, lã, penas, plumas, seda, etc.;

  • entretenimento: zoológicos e aquários, circos com animais, rodeios, touradas, corridas de animais, feiras e exposições de animais, rinhas, vaquejadas, farras-do-boi, cavalgadas, esportes que utilizam animais, etc.;

  • trabalho animal: tração e transporte, cão-guia, cão farejador, cão policial, cão segurança, etc.;

  • experimentação animal: procedimentos científicos ou didáticos, testes de segurança ou de qualidade de produtos diversos;

  • caça e pesca;

  • comércio de animais domésticos, exóticos ou silvestres;

  • utilização de animais em rituais religiosos;

  • outras formas de exploração animal.


Nos sistemas e estilos de vida hoje predominantes ocorre um favorecimento das espécies animais com as quais as pessoas se identificam, havendo rejeição, indiferença ou desprezo pelas espécies com as quais não ocorre essa identificação. Dessa forma, atribui-se valor à vida animal de acordo com preferências pessoais. Se se gosta de cães, chimpanzés e mamíferos marinhos, então suas vidas têm algum reconhecimento; se, vacas, galinhas e porcos são animais que não geram empatia, sua submissão ao jugo humano é tida como legítima, assim como os benefícios advindos de sua exploração.


Chamamos especismo a discriminação contra espécie, tão arbitrária e irracional quanto o racismo e o sexismo, entre outras. O veganismo é a única forma coerente de combate ao especismo.

Assim como a sociedade não tolera o racismo e o sexismo, nossa luta é para que ela também não tolere o especismo. O veganismo, ao tratar do respeito aos direitos de seres sensíveis e conscientes, afirma que sua adoção não deve ser vista como questão de opção pessoal, mas de obrigação moral.


Cada organismo animal é um indivíduo, e como indivíduo tem seus direitos. Seu valor independe da espécie à qual ele pertence, se rara ou abundante, útil para algum propósito humano, ou não. Sua existência possui valor em igual medida e se justifica por si mesma.


O veganismo deve ser amplamente praticado e jamais vinculado a outras filosofias, ideias e crenças que não sejam a dos direitos animais. Ele não deve ser um modo de vida restrito a uma pequena parcela da população ou identificada com uma certa “tribo”. Manter o veganismo atrelado a outras práticas e ideias é condená-lo a permanecer em um círculo restrito de pessoas.


Ainda que o veganismo dependa da iniciativa de cada indivíduo, apenas a sua prática por toda a humanidade irá assegurar que os animais tenham seus direitos respeitados. (Leia o Manifesto completo no site da Sociedade Vegana).


NORMAS DO CERTIFICADO VEGANO

O selo da Associação Brasileira de Veganismo trabalha nos mesmo padrões do original inglês The Vegan Society Trademark, organização que criou e registrou o termo Veganismo em Birmingham, no Reino Unido. 

No mercado desde a década de 90, as normas seguem obedecendo aos critérios de produtos não testados em animais diretamente ou terceirizados e sem quaisquer ingredientes de origem animal, com rígido controle de qualidade que asseguram ao consumidor e ao empresário a certeza do certificado comprovadamente vegano.


QUAIS PRODUTOS SÃO ELEGÍVEIS?


Todos os produtos e serviços que não utilizam animais e testes animais podem obter o Certificado Vegano:

  • alimentos e bebidas;

  • produtos de beleza e higiene pessoal;

  • serviços;

  • produtos de limpeza;

  • roupas e acessórios;

  • móveis e utilidades domésticas;

  • também pratos de restaurantes;

  • e muitos outros produtos e serviços de empresas grandes, médias ou pequenas, bem como de micro e pequenos empresários.


Saiba mais sobre VEGANISMO, RECEITAS VEGANAS, SAÚDE, PERGUNTAS E RESPOSTAS no site www.veganismo.org.br


No site da Sociedade Vegetariana Brasileira https://www.svb.org.br/ você encontra mais informações.


Fique por dentro dos assuntos do momento no PAUTA EM DEBATE e compartilhe!

.

Em breve nossa entrevista com especialistas e convidados para a 1a Temporada, trazendo quatro episódio:

Veganismo | Empreendedorismo | Aromaterapia | Astrologia



@entreasanas

9 visualizações

Entre Asanas

Entre Asanas. Sua Revista Digital Interativa de Yoga & Bem estar. 

© Copyright 2020 |  Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução, total ou parcial, de qualquer conteúdo publicado neste site.

Os artigos e conteúdo multimídia publicados aqui são de inteira responsabilidade de seus respectivos autores. As expressões e opiniões neles emitidas não representam, necessariamente, o ponto de vista deste meio de comunicação.

Realização:

Escola Riserva Zen Yoga Life

@riservazen

www.riservazen.com

 

Jornalista responsável: 

Luciana Cavaliere

JP28874-RJ

Permaneça conectado

Assine nossa lista exclusiva e participe de sorteios.

Receba inspirações diariamente

e fique bem!

Entre em contato

Av. Gastão Genges 395

Rio de Janeiro RJ 22631-280

REDAÇÃO:

contato@revistaentreasanas.com.br

whatsapp: (21) 99307-1327

  • íco do Fcebook Cinza
  • Ícone do Twitter Cinza
  • Ícone do Instagram Cinza