Tabagismo e álcool, do normal para o proibido


De forma moderada ou não, ambos trazem severas consequências à saúde


Por Brenda Reis




Por meio da ciência conseguimos aprender e comprovar fatos que antes eram desconhecidos ou pouco explicados. Entre os anos de 1940 e 1970 fumar era considerado legal, os fumantes estampavam as propagandas e os filmes, nomes do cinema como James Dean e Humphrey Bogart sempre estavam com um cigarro em mãos. E assim, o glamour do cigarro foi sendo disseminado entre a população, principalmente entre os jovens.


Outro fator que está ligado com o “ser legal” é o álcool, para muitas pessoas a diversão não acontece sem a bebida. E o que diz a ciência sobre isso? Já que muitas das vezes o uso de ambos acontece sem moderação.


O tabagismo, nome dado a dependência física e psicológica de tabaco é um dos males que mais assolam a população, de acordo com uma pesquisa publicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 8 milhões de pessoas morrem por ano por decorrência do uso de tabaco, ainda de acordo com a organização, o uso contínuo é uma das maiores ameaças à saúde pública que o mundo enfrenta.


Para aqueles que param de fumar alguns benefícios chegam rapidamente, dentro de 20 minutos o ritmo cardíaco e a pressão arterial já abaixam; em 12 horas o nível de monóxido de carbono fica normal no sangue. Além claro, dos fatores positivos a longo prazo, como a diminuição do risco de câncer, caindo para a metade em relação aos fumantes.


Mas por que o tabaco, um produto agrícola processado por meio de folhas faz tão mal? Os meios derivados do tabaco, como: cigarro, cachimbo, narguilé e até mesmo os dispositivos eletrônicos para fumo são nocivos. Durante o consumo destes produtos são introduzidos milhares de substância tóxicas, entre elas a nicotina, que causa dependência. Além dos mais de 7 mil compostos e substâncias químicas, entre elas, algumas que causam câncer.


Quanto ao álcool, algumas pessoas podem se questionar, já que normalmente ele não é ingerido diariamente, assim como, o tabaco. Todavia, um estudo publicado pela revista científica The Lancet confirma que não existe nível seguro para o consumo de álcool. Os pesquisadores apontam que beber moderadamente pode proteger contra doenças cardíacas, mas sugerem que o risco de desenvolver câncer e outros males são ainda maiores. Até mesmo o vinho, que por muito tempo foi indicado como propício tomar diariamente, vem perdendo esta fama.


Uma das conclusões alcançadas pelos cientistas foi que o consumo de álcool pode explicar até 0,8% da variação de matéria cinzenta cerebral dos analisados, que possuíam idades, sexos e níveis educacionais diferentes. À primeira vista o número pode parecer pequeno, todavia, ela é maior do que outros fatores de risco, como o IMC e o próprio hábito de fumar.


Tanto o tabagismo como o excesso de bebidas alcoólicas são malefícios, ainda que feitos de maneira moderada podem trazer consequências severas ao bem-estar. Além de afetar a nossa vida tanto fisicamente, como financeiramente e mentalmente.


Se cuide! Procure ajuda com profissionais capacitados e liberte-se!


Conheça alguns aplicativos e centros de ajuda que podem auxiliar na caminhada contra o tabagismo e o alcoolismo.


QuitNow! Quit smoking

O aplicativo é gratuito e incentiva os usuários a abandonar o vício do cigarro exibindo dados sobre os efeitos benéficos no corpo com a interrupção do uso da droga. O app ainda informa o valor economizado ao não comprar o produto. Serviço disponível para Android, iOS e Windows.


Quit Smoking

O Quit Smoking é somente para usuários do sistema Android, a plataforma oferece um sistema de pequenos avanços, levando o usuário à diminuição do consumo, antes de parar completamente.



Meu último cigarro

O aplicativo Meu último cigarro mostra o nível de nicotina no corpo e também um gráfico com dados de circulação sanguínea. Além de monitorar o não consumo do cigarro, mostrando os benefícios à saúde e financeiro. A plataforma está disponível somente no sistema da Apple.


Beber Menos

O Beber Menos é uma plataforma criada por pesquisadores de universidades federais junto a Organização Mundial da Saúde, OMS, a ideia é ajudar o usuário a reduzir o consumo de álcool.


Alcoólicos Anônimos

O grupo existente em diversas cidades busca por meio de reuniões o compartilhamento de experiências a fim de resolver o problema em comum. Ajudando um ao outro a manter a sobriedade. Linha de ajuda 24h, (11) 3315-9333.














7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo