Como a Ciência se relaciona com a Fé

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a fé influencia na saúde física, mental e biológica dos seres humanos


Por Ana Karina Talarico




Uma das demonstrações de fé mais conhecidas do Brasil ocorre no mês de outubro, quando milhares de devotos saem de diferentes cidades do país rumo ao Santuário de Nossa Senhora Aparecida, localizado no Vale do Paraíba, para homenagear, no dia 12, a Padroeira do país. Os romeiros, como são conhecidos esses peregrinos, andam quilômetros para pagar promessas, agradecer por graças alcançadas e pedir bençãos em suas vidas. Uma demonstração de pura fé.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a fé influencia na saúde física, mental e biológica. Ela pode reduzir os riscos de doenças como diabetes, doenças cardiovasculares, respiratórias, infartos, insuficiência renal e acidente vascular cerebral.

Em entrevista publicada no ano passado no Jornal “Estado de Minas”, o pastor Antonio Junior, um dos maiores influenciadores digitais do mundo cristão no Brasil, avaliou que a ciência está cada vez mais validando a fé como algo importante para o bem-estar físico e mental. “Nós cristãos acreditamos que o nosso corpo é templo do Espírito Santo (1 Coríntios 6.19-20) e por isso temos a consciência de que temos de cuidar bem dele, com alimentação, exercícios e cuidados médicos. A fé nos torna conscientes de que se o nosso corpo é templo do Espírito Santo e Deus habita em nós, então não podemos deixar em ruínas a morada de Deus. Cabe a nós zelar pela manutenção desse templo", disse ao periódico.


Fides et ratio (fé e razão) é uma expressão usada na filosofia cristã explica o padre Thiago Cosmo, Mestre em Filosofia pela Pontifícia Universidade Gregoriana, que fica em Roma, na Itália, e professor de Metafísica na Faculdade Paulo VI, em Mogi das Cruzes.


“Esse é, inclusive, o nome de uma carta muito conhecida escrita pelo Papa São João Paulo II, na qual ele afirma que fé e razão são duas asas que elevam o espírito humano ao mais alto grau até a contemplação da verdade. Assim sendo, fé e razão – entendida como ciência - são duas realidades que se complementam e se auxiliam mutuamente”.

Mas como definir a fé?


Eu diria que a fé é o dom de acreditar e se relacionar com o Absoluto. E entendê-la como dom significa acolhê-la como um presente que nos foi dado. Neste caso, é um dom comum a todas as pessoas, e que possibilita a abertura para uma realidade que vai além do imediato ao nosso redor. A partir dessa relação, dessa amizade com o Transcendente, é possível nutrir as virtudes necessárias para se viver bem, superando as dificuldades da vida, até o ponto de, inclusive, alcançarmos essa realidade superior”, afirma o sacerdote.

A União entre Fé e Ciência


Em 2010, o jornal Correio Braziliense publicou uma matéria sobre a relação da fé e da ciência. Segundo a reportagem, um estudo realizado na Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto, mostrou que a religiosidade fortalece pacientes que lutam contra o câncer. A matéria ainda trazia uma informação relevante sobre o assunto: “Uma pesquisa desenvolvida pela Universidade de Duke, na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, comprovou que pacientes que se valem de práticas religiosas apresentam 40% menos chances de sofrerem depressão durante o tratamento não apenas do câncer, mas das doenças em geral. Ao que tudo indica, a fé representa um reforço para o sistema imunológico”.


O Padre Thiago endossa essas informações. Para ele, a fé é um elemento muito importante não somente num processo de cura, mas também, em relação ao modo como se enfrenta uma situação de enfermidade.


“Quando consideramos a pessoa como totalidade dos elementos físico, espiritual e psicológico, é possível entender que a fé ilumina todas as áreas da vida humana e, consequentemente, pode conduzir à cura”, coloca o religioso.

A aposentada Maria Talarico Moreira, de 64 anos, tem certeza disso. Há um ano e meio ela descobriu que estava com câncer (ovário e trompas).


“Foi muito difícil aceitar, mas eu fui com muita fé e coloquei tudo nas mãos de Deus, porque eu sabia que isso não me pertencia. Graças a Deus eu operei, estou bem e tenho mais quatro anos de tratamento pela frente, mas eu tenho certeza que a minha fé me curou. Deus me curou. A minha fé foi o principal motivo para eu querer viver. A fé remove montanhas. Se eu não tivesse fé não sei se aguentaria”, declara emocionada.

O padre Thiago completa o pensamento da aposentada.